Sentença – Alvará Judicial – Levantamento de Valor em Conta Bancária – Procedência

Vistos, etc.

Anton Szandor LaVey, qualificado e devidamente representado nos autos, promoveu o presente pedido de ALVARÁ JUDICIAL, objetivando o saque de valores existentes em conta-poupança em nome seu nome. Requereu o benefício da justiça gratuita. Juntou documentos.

Vieram-me os autos conclusos.

É o relatório.
Decido.

Cuida-se de pedido de alvará judicial visando a liberação de valores depositados na conta-poupança de nº 1, agência nº 2, da Caixa Econômica Federal, de titularidade do requerente.

A pretensão é legítima, uma vez que a conta está em nome do próprio autor que, ao tempo da abertura da poupança, era menor incapaz. No mais, o requerente agora é maior e capaz, e comprovou a existência do valor pretendido, depositados na conta mencionada, o que justifica o presente Alvará.

Reúnem-se, pois, os requisitos necessários a sua expedição, merecendo procedência o pleito formulado.

Ante o exposto, JULGO PROCEDENTE o pedido, determinando a expedição de alvará judicial para o levantamento do montante depositado na conta-poupança nº 1, agência nº 2, da Caixa Econômica Federal, em favor do requerente.

Em consequência, JULGO EXTINTO o feito, nos termos do art. 269, I, do CPC.

Expeça-se o competente alvará.
Defiro a gratuidade de justiça em favor do autor.
Sem custas.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se.
Transitada e cumprida, arquivem-se, com as baixas de estilo.

Witmarsum (SC), 08 de junho de 2015.

Aleister Crowley
Juiz de Direito

Comentários: