Inicial – Exoneração de Alimentos – Maioridade

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA __VARA DA FAMÍLIA DA COMARCA DE WITMARSUM-SC

JEAN-PAUL SARTIRE, brasileiro, casado, filosofo, residente e domiciliado na Rua X e MICHEL FOUCAULT, brasileiro, separado judicialmente, escritor, com domicílio e residência na Rua Y, o primeiro em causa própria e o segundo através de seu procurador, vêm propor

AÇÃO DE EXONERAÇÃO DE ALIMENTOS em face de

HONORÉ DE BALZAC, maior, com 32 anos de idade, ALEXANDRE DUMAS, maior, com 26 anos de idade e GUSTAVE FLAUBERT, maior, com 20 anos de idade, todos brasileiros, solteiros, com endereço na Rua Z, pelos seguintes fatos e fundamentos:

1) Em data de 04 de dezembro de 1999 os então menores Honoré, Alexandre e Gustave, representados por sua mãe Simone de Beauvoir, ingressaram com AÇÃO DE ALIMENTOS (Autos nº 0) na 93ª Vara de Família, contra o primeiro requerente, avô paterno dos mesmos, uma vez que, segundo as razões expostas, estavam a passar necessidade de toda ordem, vez que sua mãe tivera que deixar o emprego, em face da separação com seu pai Michel Foucault, o segundo requerente, o qual não vinha honrando regularmente o compromisso assumido da prestação alimentar mensal.
2) Assim é que, em 25 de maio de 2001, o primeiro requerente resolveu assumir de vez o compromisso da prestação alimentar de seus netos e, juntamente com seu filho Michel Foucault, resolveram firmar com a representante legal dos referidos menores, sua mãe Simone de Beauvoir, o acordo que se encontra homologado pelo saudoso magistrado Dr. Charles Baudelaire, às fls. 91/92, dos autos de nº 0 da 93ª Vara de Família desta Comarca (fls. 85 a 93). (Doc. nº 02 anexo).
3) Ocorre, MM. Juiz, que referidos menores já atingiram a maioridade civil, conforme cópias das certidões de nascimento em anexo (docs. nº 03 a 05), sendo que os dois mais velhos possuem cada um o seu próprio veículo automotor, todos trabalham e nenhum deles está cursando universidade. Acrescente-se, ainda, que sua genitora também trabalha e reside em casa própria com seus filhos.
4) Por essas razões todas, vêm os peticionários requerer à V. Exa. que, citados os requeridos e após os devidos trâmites legais, seja julgado procedente o pedido para que sejam dispensados do pagamento de pensão alimentícia mensal, constante do referido acordo, vigente há quinze (15) anos, exonerando-os da obrigação, por ser de inteira justiça.
5) Requer-se, ainda, a produção de provas por todos os meios admitidos.

Dá-se à causa o valor de R$ 18.912,00 (dezoito mil e novecentos e doze reais).

N. Termos
P. Deferimento.

Witmarsum, 18 de junho de 2015.

Aleister Crowley
OAB 93

Comentários: